Partilhar

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

EXPOSIÇÃO NO SESC BOM RETIRO - NOTURNO

Exposição no Sesc Bom Retiro – German Lorca

No dia 15/02/17, realizamos uma visita à exposição de German Lorca no Sesc Bom Retiro. Fomos muito bem recepcionados pela funcionária que nos monitorou, proporcionando aos alunos curiosidades em conhecer German Lorca e um pouco de fotografia. Houve muito entusiamos por parte dos alunos, pois muitos não conheciam uma exposição de fotografias. 

Realizamos também uma dinâmica com a leitura de poemas de Mário Quintana relacioanando às obras de German Lorca. Participaram com muito empenho e euforia, pois conseguiram refletir sobre várias obras. 
Profa. Sandra
















LAÇOS, ABRAÇOS E EMOJIS

E as aulas começaram.... com laços de fita e abraços,
com a poesia de Mario Quintana e customização de lápis com Emojis.

De braços abertos com alegria e muitas expectativas para dividirmos e multiplicarmos momentos preciosos.

Falando em sentimentos, também trouxemos os “emojis”, muito populares nas redes sociais (Facebook, principalmente) e em comunicações de troca de mensagens instantâneas, como o WhatsApp.

Afinal uma imagem vale mais que mil palavras.

Profa. Beth Squio































domingo, 19 de fevereiro de 2017

AfroeducAÇÃO - Documentário Axé

No último sábado, 18 de fevereiro, fomos com alguns alunos e filhos, parentes, amigos deles assistir ao documentário "Axé: Canto do Povo de um Lugar" de Chico Kertézs na sessão da AfroeducAÇÃO no Espaço Itaú de Cinema.


A sessão ocorreu na sala 2, um excelente espaço, o que nos permitiu ter a sensação de estarmos dentro de alguns dos blocos e participarmos do debate intenso sobre esse movimento musical/cultural existente há mais de 30 anos no Brasil. Sabemos que hoje em dia não tem a intensidade que teve em momentos dos anos 90, mas em dias de Carnaval o Axé movimenta (literalmente) muita gente. Além do mais por que não pensar no Axé e a educação relacionando-a às relações étnico-raciais? Enveredar por esse caminho é no mínimo interessante. 




Marcos Eça

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Boas festas...

Nesse momento de reta final e trabalho cumprido,
desejamos boas festas a todos nossos alunos, professores, funcionários, ex-alunos e comunidade




E UM EXCELENTE



Oxalá 2017 seja um ano tão bom quanto 2016.



São os votos da equipe do CIEJA Vila Maria a todos.

AS AULAS RETORNARÃO EM 06 DE FEVEREIRO DE 2017

LUDICIDADE EM DIREÇÃO A CIDADANIA

Na semana de 21 a 25 de novembro, o CIEJA inteirinho reuniu-se em torno dos tabuleiros de MANCALA para aprender a jogar, divertir-se e discutir sobre cidadania.  Sob a coordenação dos professores Filipe, Beth, Conceição, Aline, Grazi e Karin; o “Ludicidade em direção à cidadania”, uma das ações do Plano de Metas/2016, teve como objetivo principal refletir sobre cidadania, a partir da relação com as regras do jogo.

Na primeira etapa os alunos reuniram-se na sala de vídeo para assistir a um powerpoint de apresentação com a história do jogo, suas regras e os objetivos do projeto.

Na segunda etapa foram organizados em duplas nas salas de aula, na sala de leitura e até nos corredores para aprender a jogar, isto é, aprender jogando.  No início, alguns alunos ficaram receosos e confusos com as regras, mas com o apoio dos professores e colegas conseguiram, aos poucos, a cada rodada, ganhar confiança e assimilar com tranquilidade. Muitos alunos encantaram-se com jogo e não queriam mais parar de jogar; outros incorporaram as regras, tão rápido que puderam auxiliar os colegas, e também outros queriam levar os tabuleiros para ensinar os familiares.  Ah! Os tabuleiros utilizados foram confeccionados pelos próprios alunos com caixa de ovos, e as pedras para a semeadura eram sementes de coco.

Na última etapa os alunos voltaram para as salas de leitura e/ou de vídeo para o momento de discussão sobre regras e cidadania. Para fomentar a discussão, os alunos tiveram que pensar situações concretas em que todos nós também nos deparamos com regras (direitos e deveres). Refletiram sobre alguns questionamentos: Respeitamos o direito do outro? Agimos com ética? Sabemos o nosso papel de cidadão? Experimentamos práticas cidadãs no nosso cotidiano? Reconhecemos nossos direitos?


Foi uma experiência bastante gratificante, pois pudemos observar que os alunos conseguiram, de certa maneira, pensar questões de cidadania a partir do Mancala.  Muitos relataram experiências pessoais, em que tiveram seus direitos desrespeitados; falaram da questão do preconceito de cor, de gênero, social; lembraram da exploração no trabalho; do descaso do governo com os mais pobres; e muito mais.
Professora Maria da Conceição Gomes