Partilhar

terça-feira, 15 de abril de 2014

VAMOS AO TEATRO VER "A MADRINHA EMBRIAGADA"?

VAMOS AO TEATRO ASSISTIR AO MUSICAL 
"A MADRINHA EMBRIAGADA"?

  08 de MAIO



Saída: 12:30     Retorno: 17:30

Custo: entrada grátis + condução 

(1 ônibus + 1 metrô ida e volta)

Quem pode ir: Alunos do CIEJA e ACOMPANHANTES

http://www.sesisp.org.br/Cultura/a-madrinha-embriagada.htm

 

A história começa nos dias atuais com um fã de musicais, denominado o Homem da Poltrona, ouvindo o disco, long play, de um espetáculo chamado A Madrinha Embriagada, que teria estreado em 1928 no Teatro São Pedro. A história ganha vida no palco, com os atores revivendo a trama.
A história do disco trata de uma musa do teatro, Jane Valadão (Sara Sarres), que vai deixar os palcos para se casar com o empresário Roberto Marcos (Frederico Reuter). Como costume da época, uma madrinha é contratada para cuidar da noiva antes do casamento, nesse caso, Jane é sempre acompanhada por sua madrinha embriagada (Stella Miranda). O dono do teatro, Sr. Iglesias (Saulo Vasconcelos), e outros personagens têm motivos de sobra para que esse casamento não aconteça. Com a ajuda da corista sem talento, Eva (Kiara Sasso), Iglesias contrata um amante argentino, Aldolpho (Cleto Baccic), para atrapalhar essa união. Espiões disfarçados de padeiros portugueses (Rafael Machado e Daniel Monteiro), uma aviadora, Dôra* (Andrezza Massei), Dona Francisca Jaffet (Ivanna Domenyco) e seu mordomo, o amigo do noivo (Elton Towersey) reunidos na mansão da Avenida Paulista são alguns dos personagens que povoam a cabeça e mente do criativo homem da poltrona, que narra toda essa epopeia.





Não perca essa oportunidade de ir ao 
TEATRO do SESI na Avenida Paulista.

Professor Marcos Eça
 

domingo, 13 de abril de 2014

DOIS DESAFIOS PARA O 2º BIMESTRE

Nesse 2º bimestre, proporemos dois desafios aos alunos do CIEJA Vila Maria/Vila Guilherme.

O primeiro deles é conseguirmos confeccionar um jornal/um informativo mensal do CIEJA. Para isso, propomos nesse momento que os alunos, os professores e a comunidade pensem em um nome interessante e criativo para esse jornal/informe e o entreguem a seus professores. 
Também pedimos aos alunos que produzam textos (poemas, crônicas, contos, fotografias, ilustrações etc) a partir do seguinte tema: PARA MIM ESTUDAR NO CIEJA É...

O segundo desafio é conseguimos montar e colocar em funcionamento o ESPAÇO CIEJA DE LEITURA no térreo da escola, onde haverá uma mesa com livros, revistas, gibis, jornais, panfletos para a leitura dos mais diversos textos. Os alunos, os professores e a comunidade podem contribuir doando todo e qualquer material de leitura. Estamos aos poucos montando o MURAL CIEJA DE LEITURA (localizado ao lado da merenda), onde podem parar e ler os textos como também trazer textos a serem colocados nele (basta entregá-los ao professor Marcos).

Para começarmos a nos inspirar para esses dois desafios uma imagem e um vídeo:



Agora: mãos à obra, ou melhor, cuca à obra!

Professor Marcos Eça

sábado, 12 de abril de 2014

PARCERIA EM JEIF - DOT E CIEJA

Na última quinta-feira, 27/03/2014, recebemos em nossa JEIF a equipe da DOT, composto pela Claudia, Maria Amélia, Glaucia, Roberto e Kleber.
Na sequência houve a leitura da pauta do encontro.



















Ocorreu a exibição de algumas imagens: Paulo Freire; alunos do CIEJA: teatro e caminhada.
O que fazemos está de acordo com as diretrizes do CEFAI. Precisamos de orientações e estudos mais recentes. Nesse 1º momento é preciso nós conhecermos. Precisamos também refletir.

Deu-se a leitura de "Mãe de muitos filhos" e comentamos sobre o texto: questões de identidade, de oralidade, de caráter.

Assistimos a alguns vídeos do Museu da Pessoa tentando proporcionar a aproximação entre os depoimentos vistos à realidade dos alunos do CIEJA. Assistimos aos seguintes vídeos: Antônia Antonita da Silva. Bonequeira - Isabel Mendes da Cunha. Senhor história da mandioca. André de Oliveiras. Alan: ex usuário de drogas. Dona Domingas: a namoradeira. Aluno com deficiência.


No segundo momento, nos reunimos em grupos para discutirmos as diferenças e semelhanças do texto, dos depoimentos e de nossos alunos.

Grupos de compartilhamento de saberes a partir de algumas questões:

Semelhanças: várias localidades, diferentes faixas etárias, alunos com deficiência, adolescente com histórias de vida complexa, enxada da roça, mulher na cozinha pensando na escola, operário/trabalhador, mais semelhanças do que diferenças (houve um grupo que não concordou com essa questão), trajetórias de vida, dificuldades, determinação, expor sobre suas vidas, dependência química, dificuldade de permanência.

Carência afetiva, alunos mais novos, vergonha em saber ler e escrever, desistir da escola pelos mais diversos motivos, vínculo afetivo, muitos alunos com deficiência no horário da manhã.
Tradição, preconceito, bullying, inclusão.

Outras realidades: as mais diversas deficiências, egressos, outros países, adolescentes, alunos com deficiência, mazelas sociais, famílias diferenciadas.









Finalização: apresentação de um powerpoint a partir de um texto Boaventura Santos (1997):
Objetivos Compartilhados
Currículo e cultura, territórios, identidade.
Metodologia dialética e de projetos.
Currículo não é neutro.
Trabalhos e atividades culturais realizadas no CIEJA.

Indicações Bibliográficas: seria interessante trazê-las por escrito.

Na realidade é importante haver um movimento circular entre DOT/CEFAI e CIEJA, não apenas um movimento unilateral partindo do CIEJA e chegando a DOT/CEFAI, a circularidade enriquecerá a todos nos mais diversos âmbitos.

Agradecemos aos membros que compõem DOT/CEFAI por nos ajudarem em nosso trabalho diário de docência: muitíssimo obrigado!

Professor Marcos Eça

quarta-feira, 9 de abril de 2014

OS CEM ERROS MAIS COMUNS EM PORTUGUÊS


Seria interessante todos os dias consultarem esse pequeno manual, apesar de ser rígido e hermético traz algumas dicas interessantes. 

http://www.estadao.com.br/manualredacao/erro.shtm

Fica a sugestão!
Professor Marcos Eça

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA - TURMA DA NOITE

Museu da Língua Portuguesa
Visita ocorrida em 25 de abril de 2014

A visita ao Museu da Língua Portuguesa é sempre muito atraente e recebida pelos alunos com alegria e interesse.





















Pois, este museu, além de ter uma proposta inovadora e uma base multimídia muito bem executada, atende a todos os públicos.






















Na realidade compartilhar essa visita com os nossos alunos é, de fato, deleitar-se no acervo do nosso idioma que é um “patrimônio imaterial”.












A visita ao Museu da Língua Portuguesa é a apropriação do saber, a apropriação dos equipamentos públicos, é entender que aquele museu faz parte, também, dele.























Como resultado notamos conhecimento e felicidade em seus rostos e olhares…
Professora Madalena Carqueijo