Partilhar

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

CIEJA CINECLUBE - EDIÇÃO AGOSTO DE 2016

Que felicidade poder trabalhar com um filme, 
um documentário no CIEJA Cineclube!

Hoje, a professora Lourdes e eu, Marcos, coordenador pedagógico, tivemos esse grande presente.

Em parceria com a DRE Jaçanã/ Tremembé, que nos emprestou o DVD, tivemos a oportunidade de exibir o documentário PARATODOS do diretor Marcelo Mesquita.

Iniciamos a sessão do CIEJA Cineclube contextualizando o filme, conversamos sobre o que é documentário, se um documentário apresenta a "verdade" sobre um tema, falamos sobre ficção X não ficção e antes de assistir ao filme fizemos alguns combinados com os presentes, por exemplo, todos desligamos nossos aparelhos de telefones celulares.

Além do mais, antes de projetarmos o filme propusemos algumas questões aos alunos para que se fizessem ao longo do filme: o que chamou sua atenção ao ver o filme? quais podem ser seus possíveis temas? o que o título PARATODOS pode significar? pense em uma palava, frase, comentários, imagem que possa representar esse filme para você.

Enfim, a sessão se realizou de forma magnífica. Os presentes se deliciaram com o filme e com a conversa que tivemos após sua exibição. 

Essa conversa, esse bate-papo é o elemento mais importante em um cineclube porque nos permite trabalhar com múltiplos pontos de vista para refletirmos e nossa criticidade aflorar.

Enfim, somente podemos agradecer aos presentes e dizer que nos encontraremos no dia 14 de setembro para a próxima sessão do CIEJA Cineclube.

P.S.: as sessões do CIEJA Cineclube sempre acontecem nas 2as. quartas-feiras de cada mês das 15:00 às 17:30.

Marcos Eça e Prof. Lourdes















Marcos Eça

VISITA À EXPOSIÇÃO "GEOMETRIA AFETIVA" SESC BOM RETIRO - TURMA DA MANHÃ

No dia 2 de julho, professores e alunos do período da manhã visitaram o SESC Bom Retiro para apreciar a exposição “Geometria Afetiva”. Lá encontramos produções artísticas contemporâneas e que foram apresentadas nas obras de Felipe Cohen, Marina Weffort e Wagner Malta Tavares.

Saímos do CIEJA Vila Maria/ Vila Guilherme às 8h30 em um ônibus de dois andares aconchegante. Todos nós adoramos! Chegando ao destino, dois monitores nos recepcionaram e iniciaram com uma dinâmica de apresentação. Pediram para que nos organizássemos em roda, um barquinho de papel passou de mão em mão e cada um disse o seu próprio nome e o que de mais importante trazia dentro dele. Um momento rico, emocionante porque nossos alunos falaram palavras carinhosas e percebemos o quanto de belo eles carregam em suas embarcações. Eles são D+!








Subimos para o espaço da exposição propriamente dita. Lá havia alguns quadros, painéis, instalações... E até mesmo uma pedra. Essa estava no caminho de nossa aluna Juliana. Como dizia Carlos Drummond de Andrade “No meio do caminho tinha uma pedra” e a professora Débora não perdeu a piada. A nossa aluna Amanda achou até mesmo que podia pular em cima dela. Os monitores explicaram a intenção do artista em relação a esse material e ela tomou outro significado para nós, sendo a leveza e seu oposto relacionados aos nossos sentimentos no dia a dia.

Assim também aconteceu com as formas geométricas. Reconhecemos triângulos, losangos, retângulos e círculos e outras figuras e sólidos geométricos em obras de artes onde os artistas deram vida a geometria que visualizamos muitas vezes apenas pelos vértices e lados. 

Podemos ver um vulcão com sua entrada circular; um painel com vários barquinhos construídos com pirâmides, losango e retângulos; um tecido com tramas que foram cuidadosamente retiradas linhas para construir retângulos, quadrados e causava até mesmo sensação de movimento. Em uma sala com espelhos nós multiplicamos e ouvimos o som do espaço, onde cada aluno teve a oportunidade de externar suas impressões que foram as mais diversas como medo, curiosidade, mistério, harmonia, paz entre outras. Nossa, quanta beleza! Tudo isso e muito mais, realmente, reverberou em muito afeto. Ouvi dos alunos muitos elogios e, com certeza, foi um passeio que proporcionou conhecimento em nossas vidas. 

O encantamento e aprendizado na exposição foi possível devido ao envolvimento de nossos alunos, mas principalmente pela dedicação e competência dos monitores que nos explicaram a exposição e demonstraram muita sensibilidade com os alunos com eficiência.

Que venham outros passeios. 

Parabéns CIEJA!


Professoras Andreia e Débora














terça-feira, 2 de agosto de 2016

CIEJA CINECLUBE - PARATODOS

CIEJA VILA MARIA/ VILA GUILHERME
Rua Francisco franco machado, 68 – vila sabrina
Tel.: 2201-6502


CIEJA CINECLUBE


filme: PARATODOS DE MARCELO MESQUITA  - CENSURA LIVRE
QUANDO: NO dia 10/08/2016 DAS 15:00 ÀS 17:30
ONDE: NO AUDITÓRIO DO CIEJA
QUEM PODE PARTICIPAR: ALUNOS, FAMILIARES, PROFESSORES, FUNCIONÁRIOS DE ESCOLAS, DIRETORES, SUPERVISORES, COMUNIDADE E A QUEM POSSA INTERESSAR.

APÓS A PROJEÇÃO DO FILME HAVERÁ UM DEBATE MEDIADO PELO COORDENADOR PEDAGÓGICO MARCOS EÇA.                              

A trajetória, a vida e os desafios de alguns atletas paralímpicos, que fazem parte das delegações brasileiras de natação, atletismo, canoagem e futebol, em fase de preparação para os Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. O dia a dia, a superação, os obstáculos, as alegrias, as tristezas de cada um dos atletas são objeto deste documentário, que também debate a questão da inclusão das pessoas com deficiência na sociedade brasileira em geral.


CONTAMOS COM SUA PRESENÇA!

EQUIPE CIEJA VILA MARIA/ VILA GUILHERME – AGOSTO/ 2016

quarta-feira, 6 de julho de 2016

AVALIAÇÃO DOS PEAS

1º MOMENTO: resgate (sensibilizador) sobre os PEAS

Montamos três varais que resgatam diversas ações ocorridas nos 2
PEAs. Pedimos aos professores para circularem por eles levando em conta a consigna abaixo:

Nos varais elencamos as principais ações desenvolvidas nos
PEAs “Ler, escrever e raciocinar a partir de projetos” e “Educação para a diversidade”.

Agora recorde, relembre e reviva...

Expresse as mais significativas ações para você e que reverberaram em suas aulas. Escreva algumas linhas sobre essa questão nas folhas que se encontram sobre uma das mesas da sala
.






2º MOMENTO
Em círculo os coordenadores pedagógicos lançaram algumas perguntas para promoverem um momento de efetiva interlocução.

3º MOMENTO
Os professores foram convidados a comentarem o que haviam escrito no 1º momento e a ligar/ conectar/ estabelecer laços/ teias com as ações/ imagens/ enunciados que já se encontravam no chão (deslocamentos de espaços e corporal propusemos). O conceito que nos norteou foi o de construir teia(s), rede(s), rizoma(s) (Deleuze e Guattari) que estão presentes em nosso fazer pedagógico com a intenção de ser representado na imagem a seguir:

Acompanhem alguns momentos dessa avaliação/ dinâmica/ oficina dos PEAs de 2016:










































Marcos Eça e Viviane Moreiras